Parnaguá

A palavra “paranaguá” na língua Tupi, significa “enseada do mar”, um termo mais do que adequado à origem da cidade de Parnaguá. Abrigando a maior lagoa do estado do Piauí, que possui 98 quilômetros quadrados de superfície, aproximadamente 7 quilômetros de largura por 14 quilômetros de comprimento, a região foi outrora habitada por índios das tribos Pimenteiras e Acaroás. Não é de se estranhar que os indígenas confundissem a imensidão da lagoa com o mar, porque há trechos em que não se avista a outra margem, daí terem-na chamado Paranaguá. Quando foi elevado a município, o povoado passou a se chamar Parnaguá, com uma pequena variação de seu nome original.

Parnaguá é um dos municípios mais antigos do Piauí. Chamava-se Vila de Nossa Senhora do Livramento de Paranaguá, terra onde nasceu o Marquês de Paranaguá, João Lustosa da Cunha. O marquês acrescentou o nome Paranaguá como seu último sobrenome, em homenagem à sua terra natal, passando a se chamar João Lustosa da Cunha Paranaguá.

A lagoa de Parnaguá é palco da famosa lenda de Miridan, uma índia da tribo dos Acaroás que habitava as margens do rio Paraim. Foi de um gesto seu que a lagoa surgiu e esconde os seus segredos, como o do membira que habita as águas profundas e é protegida das iaras. No dia em que falar, será enviado de Tupã para anunciar o fim do mundo!